Aprendizagem associativa e Redes Hebbianas.

Teoria Hebbiana

Aprendizagem associativa e Redes Hebbianas.

Aprendizagem associativa e Redes Hebbianas. 1588 2246 Julien Diogo
image

A teoria Hebbiana surgiu em 1949 com Donald Olding Hebb. Hebb foi um psicólogo canadiano influente na neuropsicologia que procurou entender qual a função dos neurónios nos processos da memória e aprendizagem. As suas teorias sobre o processo de aprendizagem descrevem o comportamento e pensamento a nível da função cerebral através da explicação de processos cognitivos em termos de conexões entre os neurónios.

Hebb sugeriu que a aprendizagem surgia de um disparo de dois neurónios em conjunto ficando interligados e correspondendo a um determinado resultado.

image

No processo de aprendizagem de algo novo ativa-se um mecanismo básico da plasticidade sináptica através da estimulação repetida e persistente. A aprendizagem altera a ligação molecular entre dois neurónios através da utilização da fenda sináptica como ponte entre os dois. Este processo consiste na ação dos neurotransmissores que utilizam a fenda sináptica como ponte para a inibição ou estimulação de neurónios. Assim, o mecanismo molecular envolve o glutamato (nerotransmissor) que é libertado pelo primeiro neurónio, que atravessa a fenda e se vai ligar a recetores no segundo neurónio que, por sua vez, irá disponibilizar mais recetores para uma próxima chegada de glutamato (a repetição). A aprendizagem associativa resulta então desta conexção neuronal repetida que corresponde à conexção de dois conceitos.
Isto é, a aprendizagem associativa depende de um processo simples no qual os neurónios estimulados se conectam entre si (através da ação do glutamato na fenda sináptica), criando uma ligação ao estímulo.

Tudo isto se explica de uma forma simples: Um neurónio específico é ativado quando lhe é fornecido um estímulo X que leva a uma determinada reação. Se se introduzir um segundo estímulo Y antes do primeiro, e o repetirmos várias vezes, a reação que surge do estimulo X irá começar a surgir também quando se pratica o estímulo Y pois este está, agora, conectado ao estímulo X e resultam ambos na mesma reação.

Isto pode ser observado com o comportamento de um cão. Já todos tivemos contacto com um cão que sendo estimulado por uma recompensa faz determinados truques, ele sabe que fazendo os truques irá receber uma recompensa. Como é que o cão associa o truque à recompensa? Inicialmente o cão recebe um estímulo que é a ordem de sentar, se o fizer irá receber a recompensa que é a reação a esse estímulo. Mais tarde a palavra “senta” fica associada à recompensa, passando a palavra e o ato de sentar a estarem conectados com a recompensa, isto é, o resultado da ligação desses dois estímulos repetidos leva à associação que estão conectados à reação “receber a recompensa” e cria ligações moleculares entre dois neurónios. Esta ligação entre neurónios leva à aprendizgem e memória e é por isto que a repetição desta ação leva o cão a saber o que fazer quando é confrontado com estes estímulos.

image
Estímulo
image
Resultado

A aprendizagem e memória são resultado da ação repetida de neurotransmissores entre neurónios que ficam ligados entre si e a um resultado dessa ligação. As redes Hebbianas são redes que conjugam diversas conexções sinápticas criando uma conjugação de estímulos e, consequentemente, de novos conceitos gerando conhecimento através da aprendizagem associativa.

teoría-del-aprendizaje-neuroplasticidad-1024×768
Representação de uma Rede Hebbiana.

Referências bibliográficas:
SETH, Anil. Paula Caetano, O Cérebro em 30 segundos. Lisboa: Jacarandá, 2018.

ATENEU. Londrina. [DATA DE CONSULTA. 2019-02-11 10:30:18] Disponível na Internet: https://www.ateneulondrina.com.br/Teoria-Hebbiana-Aprendizado+95889

Bilioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. Brasília. [DATA DE CONSULTA. 2019-02-11 10:40:54] Disponível na Internet: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/USP_bf5a7069169fb611caa356abf48dc364

Canadian Association for Neuroscience. Victoria. [DATA DE CONSULTA. 2019-02-11 11:03:24] Disponível na Internet: https://can-acn.org/donald-olding-hebb

Deixe uma resposta