Homúnculo de Penfield

Homúnculo

Homúnculo de Penfield

Homúnculo de Penfield 1588 2246 Julien Diogo

“As mãos, a língua, os órgãos genitais e as características faciais são extremamente importantes, pois oferecem às pessoas milhares de informações sensoriais. Desta forma, ocupam muito espaço no cérebro.”

Do latim homunculus «homem pequeno», o “Homúnculo de Penfield” apresenta-se como uma representação das funções do ser humano: uma imagem corporal que o homem tem dele mesmo.

Esse mapa do córtex cerebral foi desenvolvido pelo Dr. Wilder Penfield (1891-1976), neurocirurgião canadiano, quando cuidava de pacientes com epilepsia. O seu trabalho permitiu reconhecer a correspondência de regiões cerebrais com áreas do corpo humano.

Penfield percebeu que ao estimular e forma fina e eletricamente o córtex cerebral dos pacientes podia provocar e controlar as crises de epilepsia, e assim descobrir o foco da enfermidade.

Podemos assim definir o homúnculo, como a representação diagramática proporcional do corpo animal em relação às partes destes, representadas no córtex somestésico e motor.

Deixe uma resposta